domingo, 29 de maio de 2011

E-meeting

Que nós vivemos na era da tecnologia, vocês já sabem.
Vocês conhecem o Twitter, conhecem o Facebook, conhecem um monte de aplicativos da Apple... Todos eles muito funcionais e de certa forma bons para a sociedade. A possibilidade de você conversar com alguém há mil quilômetros de distância, em segundos, surpreende quem tem mais de 50 anos - impressiona quem jamais pensou que isso seria possível.


Tudo muito legal, muito bacana. A internet, além de tudo, é um meio de acessibilidade, como diria Lucas Radaelli. Existem, claro, opiniões controversas quanto a jovens ou crianças participarem dessas redes sociais, mas em geral é apenas sensacionalismo.

Entretanto... Até onde podemos deixar que a internet interfira na nossa vida?
(Isso soou muito Globo Repórter para o meu gosto.)

Recentemente estava explorando (com minha caravela movida a sopro) este maravilhoso mundo tecnológico e me deparei com um site dizendo que acharia a pessoa ideal para mim. Fiquei contente; Alguém chato, feio e novo sempre quer conhecer alguma garota nova (huh). O site fez uma série de perguntas sobre minha personalidade, livros que eu gostava de ler, músicas que eu gostava de ouvir e coisas do gênero. Com base nas minhas respostas, ele indicou uma garota que tinha os gostos parecidos com os meus e que morava na mesma cidade. O nome disso é e-meeting.

Que lindo!

Mas depois fiquei pensando.
Tudo bem, claro que não vou montar uma opinião radical a respeito disso. Ainda posso ir para a balada e conhecer uma garota bonita por mim mesmo; Ainda posso tropeçar com alguém na rua segurando rosas; E coisas do gênero. E o site é ótimo! Às vezes quero conhecer alguém novo, e interessante, e que consiga conversar comigo... E essa pessoa está lá, esperando por mim.

Mas... E daqui a vinte anos?

Se formos comparar a explosão da internet dos anos 90 aos 2010 e manter essa proporção dos anos 10 aos 30, poderíamos chegar à conclusão que o romantismo acabou. Seremos "programados" para gostar das pessoas que sejam simplesmente parecidas conosco. É claro que essa acaba sendo, no final, a tendência natural, e os sites de E-meeting apenas facilitam isso.

Posso reclamar?

E aqueles amores improváveis? E aqueles amores que te mudam, que te crescem estoicamente para um dos lados que você não priorizou?

E o sedentarismo?

Óbvio que não tenho nenhuma formação no assunto, tampouco acho RUIM a existência desses sites - é uma escolha sua participar, e, no mínimo, te tira do tédio - mas gostaria de deixar expresso meu pequeno temor.

Entretanto (contudo, todavia, mas, porém. Lembrou daquele seu professor de português da sétima série, né?), o objetivo dessa postagem não é criticar o E-meeting... É abrir a discussão.

Eaí, povo...? Isso vai mesmo interferir no futuro, ou eu estou apenas viajando na minha caravela movida à sopro?

Quem não conhece esse tipo de site pode experimentar o E-harmony.

3 comentários:

diogo disse...

Muito Bom o blog...
Achei o conteúdo muito interessante...
Shiro você mandou bem aki...^^

Anônimo disse...

Bacana a postagem!
Acho complicado o que está acontecendo com os jovens... Espero que com essa nova geração ainda tenhamos valores!

Felipe Kriusky disse...

Acredito que o futuro tenda a ir pelo lado dos encontros pela internet mesmo, e acho isso bom, a menos que troquem o contato físico por conversas. Aí todos nos viraremos mulheres, hehe