quinta-feira, 22 de setembro de 2011

À respeito de respeito

Olá senhores.

Gostaria de começar essa postagem expressando minha indignação a respeito do caso Troy Davis, que foi executado hoje às 00:08 (horário de Brasília). Mr. Davis era negro, pobre, e acusado de assassinar um policial, dezenove anos atrás. Na época, Davis teve 9 testemunhas oculares que disseram que ele de fato matou o policial. Recentemente, 7 dessas testemunhas revogaram seus depoimentos, e não há nenhuma prova física contra ele. NADA. Nada concreto.



Mas ainda assim, está morto. Assassinado. Pelo Estado.
Aqui você pode ler um texto bem comovente dele. Clique. Não custa nada.

Davis morreu por ter cometido um crime ou por gerar despesas demais?

Essa história já deu bastante repercussão na internet, portanto, caso queiram lê-la completamente, é só procurar em qualquer lugar por aí (recomendo o BuleVoador).

Enfim, o que me leva a escrever agora, além da fúria silenciosa pela injustiça absurda ao Mr. Davis, é o fato de eu ter me lembrado de um dos principais argumentos "contra" críticos. Na verdade, ouço tanto isso que já parei de tentar contra-argumentar racionalmente com a seguinte frase:

Respeite a opinião dos outros.

Não.
Não respeito.
Respeito as pessoas, não as opiniões delas. Sinceramente, pessoal, o quanto estaríamos atrasados se tivéssemos decidido todos simplesmente "respeitar" as opiniões de Aristóteles? Mais do que isso... Você respeita as opiniões de Adolf Hitler? Respeita quem acha que mulheres devem ser estupradas? Realmente respeita isso?

Eu não.

É muito absurdo e irritante quando encerram a discussão com isso. "Você acha tal coisa, eu acho outra, discordo mas respeito". Fico mais feliz quando não respeitam. As pessoas tornam-se ousadas, inteligentes, mostram para o outro como ele está errado e porquê. Entretanto, criou-se uma regra social ridícula de cultura ao respeito, ao temor.

As pessoas acreditam que você está agredindo a elas quando você discorda violentamente de uma opinião. Ficam ofendidas e partem para ofensas pessoais (ad hominem), "contra-atacando", na mente distorcida delas. Entendem como isso não faz sentido?

Discussões podem SIM ser inflamadas e sem "respeito à opinião". É uma forma de crescermos, melhorarmos. Quando alguém critica duramente algo que pensamos, nós evoluímos. Pensamos de novo. Pensamos melhor.

Mas, se você quiser ser "civilizado" e medíocre, vá em frente. Só pense nisso quando alguém for ácido contigo.

Abraços.

13 comentários:

Evandro disse...

O politicamente correto cristão implantou essa semente maldita na sociedade para criar soldados em Cristo, e os hipócritas abraçam essa causa para criar as massas que vão ao encontro dos salvadores terrenos.

Esse respeito absoluto é a arma perfeita dos falsos moralistas (como já profetizava um), que querem respeito para seus atos de desrespeito, sejam intelectuais ou factuais.

Shiro disse...

Exatamente. Não acho que o problema é centrado na religião, mas com certeza "tem a ver" com ela. Ser não-tão-correto-assim é quase criminoso de acordo com nosso pensamento conservador e, por quê não?, burro.

raulmq disse...

Ótimo post!
Penso exatamente o mesmo!
Discussões e críticas a cerca de idéias não precisam desrespeitar pessoas.
Um ótimo exemplo é o quanto todos discordam de seus pais em vários assuntos, mas nem por isso perdem o respeito por eles, apesar de não respeitar suas idéias.
Pessoas não são idéias! Pessoas criam idéias e não precisam ser fieis à elas! Mudar de opinião muitas vezes é evolução. Discutir fervorosamente sobre um assunto, é busca de conhecimento e treino de suas ferramentas de comunicação.

Parabéns e continue escrevendo!

Anônimo disse...

Ótimo ponto de vista, me deu o que pensar. Você escreve muito bem.

Evandro disse...

Conservadorismo é um mal que assola a sociedade em vários aspectos, impede o desenvolvimento intelectual colocando limites para mudanças. Se a ciência, que é o maior exemplo de crescimento do ser humano, vive de mudanças qual é a lógica disso?

Shiro disse...

Obrigado Raul e Anônimo, fico satisfeito em ter dado o que pensar. Concordo de todos os jeitos possíveis quando o Raul diz "pensar diferente, em geral, é evoluir".

Novamente subscrevo-me a você, Evandro. O medo de mudança e o "ficar igual por ser conveniente" são males terríveis, que levam nossa sociedade a uma "empatação" sem limites.

Não devemos desprezar a História, mas PRECISAMOS aprender com ela.

Valeu aos três pelos comentários.

Anônimo disse...

Curti mto o post, e concordo com ele e com os comentários. Faltou agora alguém pra discordar e pra haver uma discussão aqui XD.
Yuri.

Maria ~Bei de Boas~ disse...

Respeito às pessoas, acima de tudo. Só que raramente eu deixo ela falar sem tentar mostrar à ela porque penso diferente dela. Não obrigo ela à mudar de opinião. Não posso fazer isso. Apenas mostro como eu penso. Cabe àquela pessoa continuar como está ou pensar melhor sobre o assunto.

Shiro disse...

Maria,

O ponto é que algumas pessoas - como eu - são mais incisivas e diretas (tentando evitar a grosseria, sempre) em seus argumentos. E as pessoas veem isso como falta de respeito, quando, na verdade, não é nem de longe.

Yuri,

Faltou mesmo!

White disse...

Acho que não vamos ter uma discussão aqui =/
Está bem claro o lado mais lógico de se pensar e o tipo de pessoa que discorda provavelmente não acessa esse blog

Ótimo post shiro =*

Shiro disse...

White,

Verdade.
Infelizmente, o público alvo do blog não deixa o alvo do texto ser alvo. ):

Valeu.

R... disse...

Bom... sentença de morte acho absurda ateh aos que são realmente culpados...
E, respeito a opinião... concordo em respeitar, no sentido de ter consideração... nunca submissão.

Shiro disse...

R,

Sentença de morte é ridículo! De verdade, não tem sentido nenhum. É mais cara do que a prisão perpétua (5-12x), muito mais cruel/desumana (imagina o terror psicológico por MUITOS anos em cima do cara) e muito menos funcional do que a prisão perpétua. Como eu disse lá no Bule, a morte do assassino - mesmo que culpado - vai preencher o vazio do assassinado? Isso é hipócrita, é ridículo.

E não concordo em respeitar a opinião porque muitas opiniões você NÃO PODE levar em consideração, como a de Hitler - conforme citada no texto. São tão absurdas, mesquinhas e medíocres que se você "respeitar" acaba fazendo um desfavor à própria pessoa.

Valeu!