quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Ratinho e o Escondidinho

Muito boa tarde, meus caros concidadãos de Curitiba em (mais uma) tarde ensolarada!

Desculpem a falta de posts aqui no blog. Existem tantos blogueiros de qualidade aí (Tarso, Esmael, Joice) que eu imaginei não ser necessário escrever nada nesse meio-tempo. Bem, e que meio-tempo agitado tivemos! Uma imensa shitstorm vinda da campanha de Ratinho Junior, do PSC, totalmente (?) inesperada! Ele, que se dizia tão "limpo" por uma campanha bonitinha, logo ele, que deu aquela "invertida" nos candidatos que trocavam farpas, acabou fazendo uma das campanhas mais sujas e desesperadas da história da política curitibana.

Não por acaso. As pesquisas, usualmente compradas para mostrar resultados favoráveis ao candidato que tem mais "poder de compra", deram resultado positivo para Fruet. Mesmo o famigerado Ibeto, que errou grotescamente no primeiro turno, mostra Fruet com 10 pontos a mais que o adversário. Resultado surpreendente, pois Fruet não compra pesquisas e ele mesmo não está recomendando que achem que a eleição está ganha.

Dentro das "geniais" sacadas da campanha esclerosada de Ratinho, estão críticas duríssimas ao partido inteiro do PT (lembram que no primeiro turno ele se vangloriava de fazer parte da base aliada?), que depois foram passadas não à militância, mas aos "gravatas" do PT e depois voltou a ser ao PT inteiro. Essa crítica foi protagonizada pelo comercial eleitoral do "escondidinho", que dizia que Fruet estava "escondendo" o PT. Dizia errado, é claro, pois nunca foi escondido, inclusive sua vice - a carismática Mirian Gonçalves - é do partido. A propaganda foi tão furada que rapidamente foi tirada do ar, e deu vergonha alheia nos bastidores políticos.

E as contradições da campanha Ratista não param por aí. Ratinho se dizia o candidato das "novas ideias", "anti-oligarquia"... E pega de apoio justamente Requião. O maior cacique político do Paraná. E não só ele. Ironicamente, escondidinho está o Governador Beto Richa, que não declarou apoio aberto mas está atuante na campanha. Ou seja, Ratinho está se contradizendo duas vezes em apenas uma tacada. E não é só o governador, não: O futuro-ex-prefeito também está nessa. Ratinho conseguiu reunir todos os caciques políticos de Curitiba, justamente quem ele dizia ser tão contra, e de modo REALMENTE sorrateiro.

E para fechar com chave de ouro a tempestade de cocô que se abateu por Curitiba, a "bomba" de hoje é sobre o tal supersecretário-batman-nem-tão-super-assim: Ratinho DECLINOU que o tivesse nomeado alguma coisa! Senhoras e senhores, meninos e meninas, ele acabou de dizer que MENTIU na propaganda em que dizia que Francischini seria seu "super secretário" (inclusive chamado de BATMAN pelo Gustavo). Francischini, preocupado, disse não saber de nada. Aproveito o link para dizer da tal bomba do delegado, será divertido ver quantas informações falsas ele vai vazar. Política completamente nojenta.

A indicação do Fernando Francischini para secretário de segurança e o pedido de 3 secretarias que ele fez para apoiar Ratinho (pedido aceito) também abrem espaço para a controvérsia de que apoiadores Ratistas usaram uma notícia FALSA publicada no blog da Joice dizendo que Gustavo teria loteado 6 secretarias. Eles criticavam isso (pois antes o maior argumento da militância Ratista era chamar Gustavo de "Frufru", e só), sendo que foi COMPROVADO que o candidato deles cedeu essas secretarias.

Não consegui imaginar imagem melhor.


E agora, Ratinho? Vai perder o aliado?

Obrigado por terem lido novamente e muito boa tarde,
Caio.

p.s.: peguei todos os links do blog do Esmael pois é o que parece estar sendo mais neutro, publicando notícias boas e ruins dos dois candidatos. também é um blog muito completo, e quaisquer informações faltantes neste texto (posso ter esquecido) estarão lá.

Nenhum comentário: