quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Ética comportamental e aplicada


Boa noite, boa madrugada a todos.

Hoje vim falar aos senhores um pouco sobre ética. Não aquela ética ensinada nas escolas de direito, que são tão confusas e ambíguas; Algo menor, na alçada de cotidiano de uma pessoa "comum". Com efeito, ética é o que define - mesmo sem saber - a rotina das pessoas, e talvez até mesmo seu caráter. Há uma frase, atribuída na internet a Abraham Lincoln, que sustenta a teoria "Qualquer homem pode ser virtuoso ao suportar adversidades, mas se quiser testar-lhe o caráter, dê-lhe poder". O poder é circundado pela ética; Toda e qualquer ação que denote poder necessita ser guiada por um (conjunto de) padrão ético, seja essa ação cuidar de uma empresa ou dos filhos. É por isso que creio que o assunto é delicado, mas não necessariamente pessoal.

Indo aos primórdios da conversa - que é, no final, uma discussão, e o texto tem este intuito -, Kant nos diz que "ética é uma ação de um individuo que pode ser usada como padrão para todos os indivíduos"; Algo como "sua ação deve ser feita de tal modo, que qualquer outra pessoa possa agir da mesma forma sem prejuízo a ninguém". Tais ações seriam ética a um campo praticamente utópico, pois é possível dizer com alguma segurança que as ações - negociações - têm, em geral, uma reação adversa em alguma outra parte - mas, claro, não necessariamente, apenas generalizando. De modo que a ética comportamental em geral se restringe ao campo da especulação e da incerteza, não podendo ser pontuada, apenas advertida.

Mais profundamente, a quintessência de um ser humano é, necessariamente, egoísta. Não como pecado - não como algo necessariamente ruim - mas porque em maioria não temos mais amor pelos outros do que por nós mesmos. Há uma série de situações onde escolheríamos vantagem pessoal em detrimento à do outro, e mesmo quando escolhemos a segunda, ainda pretendemos algo. Isso é normal, e não pode-se dizer antiético por ser um padrão comumente adotado. O ponto é: Qual é a medida exata desse egoísmo? Até onde estamos PENSANDO EM NÓS MESMOS, e a partir de onde estamos AGINDO EM DETRIMENTO DOS OUTROS? A escala desse termômetro é o que podemos chamar de ética aplicada: O quanto pesamos nossas ações para sermos pessoas melhores?

A atualidade permitiu um avanço de pensamento absurdo, mas mesmo assim ficamos com o arcadismo de PENSAR EM NÓS MESMOS ao invés de pensar em grupo. O conceito de sociedade é muito difícil, afinal seguimos nosso lado que diz "acima de tudo, não seja feito de idiota" ao invés de nossos instintos naturais de proteção, de cuidado. Você também é assim, em escala maior ou menor, e isso define quanta "ética prática" você tem (por assim dizer). Foi o que eu quis dizer no parágrafo anterior.

Não creio, porém, que devamos nos ater à essa pequena funcionalidade etimológica. Exercitar o caráter, praticar a ética e simplesmente pensar antes de agir são coisas muito mais fáceis no final das contas. E isso afeta nossa vida em uma escala magnânima, altíssima. SER ÉTICO, e mais do que isso, SER INTELIGENTE, é o que define em escalas de sucesso uma pessoa - diretamente.

Você pode contra-argumentar comigo de formas variadas, mas creio que o contra-argumento padrão é: "Se a ética define o sucesso, como vemos tantos corruptos tão ricos, tranquilos e impunes". E agora é o ponto chave, e eu não irei começar um longo texto apaixonado sobre como sua consciência não te deixará em paz ou como dinheiro é diferente de sucesso. Na verdade, dinheiro e sucesso são termos dependentes um do outro. Sucesso gera dinheiro e vice-versa. E se não há ética em você, em sua consciência também não há, o que torna esse argumento simples bastante válido.

Porém, é necessário criar em nosso subconsciente uma relação direta entre ÉTICA e SUCESSO. Forçar uma ideia, assimilar que você precisa ser NULO na escala de ética aplicada supracitada - e isso significa não ser tão "bonzinho". O grande problema é que as pessoas 1) vão com sede demais ao pote e acabam sendo feitas de paspalhas ou 2) são completamente indiferentes e "sobem na vida" não tendo um plano de escape. As duas situações denotam fracasso, cedo ou tarde.

Não pretendo fazer um texto de auto-ajuda - cada um sabe bem a vida que tem - mas apenas uma conscientização de como pensar de maneira ÉTICA não necessariamente significa pensar de maneira IMBECIL.

Novamente uma boa noite à todos.

Nenhum comentário: